As “hortas” de Jambiani

Jambiani foi a minha última paragem em Zanzibar. A ideia era “deixar o melhor para o fim”: a praia de sonho. E não me desiludi. A água de Jambiani era deslumbrante, de uma variedade de tonalidades de azul que nem sabia que existiam e que nenhuma fotografia consegue mostrar. A areia tinha a consistência e a cor de farinha e as fileiras de palmeiras encostadas ao areal davam um toque final de puro paraíso. Sem dúvida que Jambiani é uma das praias mais bonitas onde já estive.

Como fui na época baixa não havia muita gente e pude fotografar com outro à vontade o que via areal. O principal motivo de interesse durante os quatro dias que visitei Jambiani, para além do mar em si, foi descobrir que ali haviam “hortas”.

Zanzibar é um dos maiores exportadores de algas marinhas. Isso deve-se à geografia da ilha que, com mares pouco profundos que se estendem centenas de metros, é propícia à criação de verdadeiras “hortas” de algas. Estas plantações são feitas nas zonas mais baixas da costa, quase exclusivamente por mulheres. Infelizmente retiram pouco dinheiro da venda das algas, já que grandes empresas, filipinas dizem-me, estão a abrir verdadeiras fábricas de algas, com uma consequente redução no valor/quilo.

Cada vez menos mulheres se dedicam a esta tradição e enquanto estive em Jambiani quis fotografá-las nas “hortas”, uma visão que pode não durar muitos mais anos. Ficam as imagens dos dias na praia, tanto das hortas como de outros momentos em Jambiani.