Numa casa de Jodphur

Nunca esquecerei a amabilidade dos indianos de Jodphur, a cidade azul. Certa tarde, caminhava numa rua e, como é comum na Índia, a porta de uma casa estava aberta. Impelido pela curiosidade, espreitei para o seu interior. O meu olhar cruzou-se com o de um velho, de vestes azuis como as da cidade. Inesperadamente o velho convida-me a entrar. Não falava inglês. Apenas me ofereceu um chá. Em troca dei-lhe a única coisa que poderia dar e que ele aceitaria: companhia. São estes os momentos que fazem uma viagem.