O Algarve não é só praia

Ler

Foi no barrocal algarvio que conheci José Roque. José já passou os 80 anos de idade e é o dono de uma das maiores propriedades do concelho de Portimão, na localidade de Descampadinho. O nome da terra assenta como uma luva ao sítio, já que poucas árvores crescem por ali. Imperam antes os tojais, típicos da zona de transição entre o barrocal algarvio e a paisagem serrana, neste caso da serra de Monchique. Mas a terra é boa para o trigo.

A propriedade do senhor Zé era uma das maiores a produzir trigo. Diz-se que era a segunda maior da região. Entretanto a família decidiu expandir os horizontes e criou no terreno uma unidade de turismo rural. A propriedade ganhou uma nova vida. Aliás, foi ganhando várias novas vidas desde há um ano para cá: burros.

Já são 16 os burros que ali habitam, mas ao ritmo dos últimos meses entretanto até já devem ser mais. Quando lá fui tinha acabado de nascer um. Tinha apenas um dia. E não são burros quaisquer. São da raça mirandesa, burros albardados, uma espécie em vias de extinção. A família faz questão de os tentar preservar, ao mesmo tempo que rentabilizam o investimento promovendo passeios em cima destes simpáticos amigos.

E quem acompanha os passeios? O senhor Roque. O mundo dos negócios não espera por ninguém e anda a mil à hora, mas a paixão pela terra mantém-se e o senhor Roque é a prova viva de que nunca devemos perder a ligação à terra que nos viu nascer.

 

 

1 Comment

  1. Fiquei encantada com o Burro “júnior” até tem olho azul, 😉 . Fotos Fixes e interessantes, 🙂

Submit a comment

O seu endereço de email não será publicado.