Pushkar em segundos

Como que uma Varanasi em miniatura, Pushkar pareceu-me uma melhor opção de visita, quer pela sua menor dimensão e, por conseguinte, menos confusão, quer pela localização a meio caminho entre Jaipur e Jodhpur.

Conhecida por ter a maior feira de camelos do subcontinente indiano, Pushkar tem no seu lago rodeado de 51 ghats (escadarias directas para as águas sagradas) o maior ex-libris. O plano de visitas era chamativo, mas o jantar da noite anterior em Jaipur fazia das suas e a cama do hotel foi a única coisa que vi num dia e meio. Depois de duas injecções com líquidos duvidosos, providenciadas por um médico igualmente duvidoso, e com um comboio marcado para apanhar, sair de Pushkar sem ver nada angustiava-me.

A caminho da estação pedi para parar uns segundos no lago. Lá estavam os ghats, os peregrinos, as águas cor de tijolo, os montes Aravalli, o Rajistão como o imaginava. Aqueles segundos resultaram nesta foto, mas doente ou não doente era tempo de continuar. Às vezes apenas uns segundos de motivação são o suficiente para esquecer as mazelas. Por isso fui hoje buscar esta foto ao baú.