Raj e o poço

Raj, o motorista de Delhi, queria fazer uma paragem não programada antes de chegar a Jaipur. Falava de um poço especial mas que eu não tinha no meu itinerário. Assenti sem relutância em parar um pouco. São estes locais inesperados que muitas vezes mais surpreendem e isso viria a confirmar-se nas semanas seguintes.

A aldeia de Abhaberi era pouco mais que um cruzamento de duas estradas no meio da paisagem seca do Rajistão. As estradas da região não têm descrição possível, prefiro chamar-lhe “loucura colorida” e não entrar em mais detalhes para já. Vamos lá ver esse poço. Como poderia um poço merecer uma visita e ainda para mais paga? Desconhecia que apenas na Índia existia aquele tipo de poços, com escadarias até à água, e este era o maior deles todos.

Chama-se Chand Baori e nem parece um poço sequer, é mais como uma pirâmide invertida com uma pequena piscina no fundo. São 13 patamares, 3500 degraus e 20 metros de profundidade, construídos há mais de 1000 anos. Até um templo inclui. Chand Baori foi uma paragem rápida mas estimulante. O Raj tinha razão.